Entrevista com Katiuscio "El Katiton"

avatarkatitongde

FFB>   Prezado Katito, fale-nos de como se deu o seu ingresso no mundo da pesca com mosca.

Katito> Meu amigo e pescador Alexandre Cardoso possuia um equipamento de fly da orvis e vez ou outra ele falava sobre o fly fishing o que despertou minha curiosidade. Daí passei a pesquisar algo (isso nos anos 90). Havia escassez de informações e praticamente tudo que se encontrava era internacional e sobre a pesca de trutas. Certa vez Alexandre fez uma pescaria comigo no interior, pescaria de tucunarés, assim como eu, ele também não tinha acesso ao vasto e diverso material e recursos que temos hoje sobre o fly. Pois bem, os arremessos eram ruins ainda (kkkkk), mal passavam de 10m, e eu o tempo todo com medo de levar uma lapada da linha na orelha! Pensei: definitivamente o fly não é para nossas pescarias. Não lembro quanto tempo se passou até que conheci o site www.flyonline.com.br (hoje off-line) do Octávio Araújo e lá uma isca me fisgou: a Surf Candy! Achei mágica a explicação de cada detalhe da construção da isca: o porque de se usar este ou aquele material, o porque das cores, posições de atar acda material, oq eu buscavam imitar e tudo mais. Simplesmente Fantástico! Foi a isca que me trouxe para o fly! Daí passei a acreditar que era possível se pescar os peixes potiguares com aquela isca e de fly (mesmo na ventania do RN) Comprei um combo da plaway e passei a visitar armarinhos para encontrar material de atado. Fiz minhas iscas (toscas no máximo) e realizei minha primeira pescaria de fly na Lagoa de Arituba onde peguei um tucunaré de uns 30cm/400-500g que brigou como um de 1,5kg na vara de bambu com lambari vivo! Pronto!  Estava sacramentada minha entrada definitiva no fly fishing!

FFB>  Qual era a dificuldade de se obter equipamentos quando você decidiu praticar a pesca com mosca?

Katito > Ah... Era imensa! Não lembro onde comprei e como achei o meu combo plaway, mas lembro que foi uma saga fazê-lo! Lembro que o primeiro catálogo que vi de fly foi um do Gugu, (ainda tenho) de capa preta e alguns itens lá acabei comprando. Material de atado só na cabelas e bass pro shops e como a grande maioria, comecei nos armarinhos! Também comprei muita coisa ao Gregório no início, ao Jonas e ao Betinho. Poucas opções existiam, era o início do fly fishing por aqui

FFB> Como era o seu primeiro equipamento de fly?

Katito > Simples. Vara moderada, #6, 2 partes, carretilha de grafite de clic drag e veio sem linha. Comprei minha primeira linha ao gregório: uma Rio quickshooter que ainda tenho (bem danificada – fiz uma shooting head dela)

FFB> Quais eram os peixes que você visava pescar no início da prática do fly?

Katito > Era o tucunaré amarelo. Agregados sempre apareciam: traíras e jacundás! Depois expandi para a costa e mangues em busca de robalos e baby tarpons

FFB> Como eram as moscas que você  usava? Eram importadas, compradas aqui no Brasil ou você mesmo as atava?

Katito > Nunca comprei uma mosca de fora! Sempre atei. Até hoje praticamente só uso streamers devido aos peixes que pesco aqui no RN

FFB> Como era a reação dos outros pescadores quando você começou a pescar com mosca? Alguma passagem curiosa?

Katito > Gay, bailarina, bicha do fly, pescador rosado e outros apelidos eram bem comuns kkkkkkkk. Preciso falar mais?

FFB> Dentre as várias espécies que você já pescou com o fly, existe alguma que você considera a melhor para capturar nesta modalidade?

Katito > Não sei se seria a melhor espécie para se capturar com fly, mas para mim a pesca de robalo, no mangue e de fly é a pescaria de que mais curto!!

FFB> Qual é o seu peixe preferido para pescar com equipamento de  fly? E por qual razão você o prefere?

Katito > O robalo no mangue! O desafio de pescar em condições difíceis (maré correndo, vento (pouco por aqui né? kkkkk), galhadas e a possibilidade de entrar um bitelo me atraem!

FFB> Você costuma atar suas próprias moscas? Dentre elas há alguma que você gosta mais de atar?

Katito > Sempre atei minhas moscas! Hoje a que mais gosto de atar é o shad fly e alguns outros streamers especialmente os só de brilho que gosto muito! Agora a que mais curto o trabalho/pescaria é o Katiton’s Mega Shrimp! Pena que dá muito trabalho e consome muito tempo para atar! Uso-a exclusivamente para o mangue!

FFB > Muitos dizem que pescaria de fly começa na morsa, na mesa de atado... o que você acha dessa afirmação?

Katito> Foi assim comigo! Fui fisgado primeiro pela magia do atado! Depois pela pescaria em si! Acredito que a maioria segue este caminho! O atado é muito mágico quando vc compreende os seus “mistérios”, quando vc entende os porquês de cada técnica e material! É muito mágico tudo isso! 

FFB> Qual as  numerações de equipamento que você possui?

Katito > Possuo #2, #4, #6 e #9. Uso pouco o #2; o número 4 e especialmente o #6 (que foi o que comprei primeiro) são os que mais uso e o #9 uso exclusivamente no mar!

FFB> O que você tem a falar acerca da pescaria de fly no Nordeste? Há alguma dificuldade inerente à região?

Katito > Acredito que, após a região amazônica, o nordeste seria a região com maior potencial pesqueiro em virtude de muitas represas, rios e vasto litoral. Entretanto há dificuldade cultural em assimilar a pesca esportiva como o todo e o fly está neste pacote! Acham difícil, caro (?), maçante... Na verdade é tudo preconceito (conceito pré-formado baseado em inexperiência e falta de experimentação na grande maioria das vezes). O Brasil tem grande potencial pesqueiro ainda pouco explorado na questão da pesca esportiva! Não temos sequer uma única espécie  protegida completa e integralmente por lei!

FFB> Você acha o fly “caro”? 

Katito > É equivalente a outras modalidades como o bait/spinning. Hj com R$500,00 vc já tem algo aceitável para iniciar! Não acho caro!

FFB> Além das diferenças de equipamentos, da linha, da isca, você apontaria alguma outra diferença do fly em relação à outras modalidades que você já praticou?

Katito> O Fly é a “pindaúba modernizada” ou a “linhada-de-mão avançada”. A maior diferença para mim é que considero-a mais esportiva, mais desafiadora, e a briga com o peixe é muito mais gostosa! Já pesquei de: pindaúba (vara de bambu), tarrafa/rede (sei fazer ambas), Bait, spinning e material Ultra-light (spinning). O que me dá prazer próximo do fly é o UL 

FFB> O que o fly tem lhe proporcionado de mais valioso?

Katito> A possibilidade de “pescar em casa”! Isto é: o atado!

FFB> Algum peixe que você ainda não pescou e que deseja pescar?

Katito> Tucunaré açu, bone-fish e um big tarpon!

 FFB> Algum local que gostaria de conhecer, para a prática do fly?

Katito> Amazônia!

 FFB> Muitos acham que o fly é para pescar trutas apenas em pequenos rios de pedras... quais foram os peixes que você se recorda já ter pescado até hoje?

Katito> “Tem boca? O fly pega!” é meu lema no fly! Já peguei tucunaré, apaiari (oscar), jacundá, traíras, robalos, xaréu, baby tarpons, xareletes, caranhas são os que lembro agora!                                                  

FFB> Algum recado especial para os que têm curiosidade de pescar com fly e ainda não se decidiram por iniciar a prática desta modalidade?

Katito> Comece! Compre o melhor material que puder! Invista também no atado! Busque alguém que já pesque e que possa te ajudar pessoalmente! Viva o fly! Satisfação garantida!